A banana e os benefícios do seu consumo para a saúde

A banana não dispensa apresentações. Apesar de estar no seu cardápio há anos – provavelmente desde sua infância -, a banana ainda tem a má fama de não ser a melhor amiga da dieta e boa forma. Como a banana  tem 22% de carboidratos, ela é mais calórica do que algumas outras frutas que consumimos: apenas uma unidade de 70 gramas de banana-prata fornece 62 calorias. Porém, a banana tem alto valor nutricional, provoca  uma sensação de saciedade e, se consumida com moderação, não contribui para o aumento de peso.

A banana tem baixo teor de gordura, possui as vitaminas A, B1, B2, B6, C, D e E e os minerais, cálcio, fósforo, ferro e potássio, sua melhor arma, que ajuda a evitar cãibras e dores nos músculos.

Comprando a banana no ponto certo

Quando for comprar bananas, elas não devem estar totalmente  maduras. Escolha as bananas com casca amarela, um pouco esverdeada, e com pequenas manchas marrons. Não compre as bananas com partes que estejam moles ou machucadas. Na sua casa, deixe as bananas amadurecerem na fruteira ou em algum  lugar arejado e fresco. A banana estará no ponto de ser consumida, com todo seu suculento sabor, quando sua casca estiver totalmente amarela, inclusive suas pontas. Depois que a banana estiver amadurecida, ela pode ser conservada na geladeira de três a cinco dias.

Como consumir certo a banana verde e usufruir de todos os seus benefícios

A maneira correta de consumir a banana verde é na forma de biomassa: para isso, cozinhe seis bananas com casca na panela de pressão, por cerca de 15 minutos, e bata no liquidificador até virar uma pasta. Você pode colocar essa mistura em sopas, caldos, molhos ou no feijão e ganhar muito mais saúde.

Confira abaixo os benefícios que o consumo de banana traz para a sua saúde:

  • Apesar de uma unidade conter cerca de 90 calorias, a banana é amiga da dieta, pois garante saciedade por mais tempo, segurando a fome.
  • A banana ajuda a prevenir a depressão e doenças cardíacas.
  • O potássio presente na banana ajuda no controle arterial, evita cãibras e também dores musculares.
  • O triptofano presente na banana previne e também trata da depressão, atuando na produção de serotonina, o hormônio responsável pela sensação de bem-estar.
  • A banana verde é classificada como um alimento funcional, que além de nutrir  ainda previne doenças. A polpa da banana verde é abundante em amido resistente, molécula muito parecida com a fibra. A banana verde, além de ajudar no bom funcionamento do intestino, assim como a banana madura, aumenta a saciedade, evitando que você tenha picos de fome.
  • A banana verde contém uma substância chamada inulina, que é capaz de controlar a diarreia e que também funciona como alimento para bactérias boas do nosso organismo.
  • Estudos indicam que o consumo de amido resistente presente na banana verde ajuda na diminuição do colesterol, o que afasta para longe doenças do coração.
  • A banana alivia os sintomas da TPM.
  • O potássio e a vitamina B6, presentes na banana, auxiliam a diminuir as cólicas menstruais.
  • As vitaminas A, C e do complexo B contribuem para a saúde dos cabelos, da pele e das unhas.
  • Segundo uma pesquisa publicada no Journal of the American College of Cardiology, o potássio presente na banana melhora a fluidez do sangue, evitando a formação de coágulos – pessoas que comem três bananas ao dia tem risco até 21% mais baixo de sofrer um acidente vascular cerebral.

Artigos relacionados:


 

A história da banana

 

Nome da fruta – Banana

Nome científico – Musa paradisiaca L.

Família botânica – Musaceae

Categoria – Doce

Origem – Ásia

Características da planta – A bananeira é uma planta com caule suculento e subterrâneo, cujo “falso” tronco é formado pelas bases superpostas das folhas grandes de coloração verde-clara, brilhante. Flores reunidas em inflorescência do tipo cacho, que surgem em séries a partir do chamado “coração” da bananeira.

Fruto da bananeira – A banana é um fruto alongado, de casca mole, com polpa carnosa de coloração creme-esbranquiçada a amarela de acordo com a variedade.

Frutificação da bananeira – O ano todo.

Propagação da bananeira – Não forma semente e propagação por rizomas.

A história da banana

As bananas, fruto das bananeiras, são o que todo mundo sabe e já provou. Possivelmente, as bananas que conhecemos hoje são oriundas do quente e úmido Sudeste Asiático, de onde provêm os mais antigos registros de seu cultivo e as mais antigas lendas construídas ao seu redor. Para muitos, inclusive, a antiguidade e a origem asiática da banana são fatos incontestáveis.

Cacho de banana

Supõe-se que, no decorrer de sua longa existência, a bananeira foi perdendo a capacidade de se multiplicar por sementes. De acordo com Paulo Cavalcante, este fato é ainda outro indício de que o homem aprendeu a cultivar a bananeira em épocas remotas, “desde os tempos primordiais da origem da humanidade”.

O “coração” da bananeira

A banana é, na verdade, o fruto de uma planta que pode ser botanicamente descrita como uma “erva gigante”, como afirma Paulo Cavalcante. Esta é, aliás, uma das principais características de todas as Musáceas. As flores da bananeira são pequenas e nascem em pencas, permanecendo protegidas por uma bráctea arroxeada, quando jovens. As pencas de flores viram pencas de frutos e vão surgindo, uma a uma, a partir do chamado “coração” da bananeira.

Os frutos das bananeiras, que podem ser apanhados quando ainda completamente verdes, constituem grandes cachos com várias pencas. De aspecto e forma característicos, surgem uma única e abundante vez. Além disso, uma outra característica dessas plantas é o fato de que as pencas de bananas nascem inclinadas para baixo e, à medida que vão crescendo, voltam-se para cima.

Bráctea

Hoje, excetuando-se algumas espécies silvestres, a bananeira só pode se multiplicar por processos vegetativos, ou seja, através de rebentos nascidos de outras plantas ou mudas. Se o processo de propagação não for controlado e houver espaço, a bananeira pode dar a impressão de que caminha de um lado para outro, uma vez que os rebentos vão de distanciando pouco a pouco da matriz originária.

Assim, caminhando lentamente, a banana vem se espalhando por todas as regiões tropicais e subtropicais do globo, sendo certamente, nestas localidades, a fruta mais conhecida, consumida e cultivada. O Anuário Brasileiro de Fruticultura de 2004, por exemplo, informa que, no início do século 21, a banana é o quarto alimento vegetal mais consumido em todo o mundo, ficando atrás apenas do arroz, do trigo e do milho.

Bananas de mesa

Bananas de mesa são, por exemplo, as variedades maçã, ouro, prata e nanica ou caturra, como é mais conhecida no Sul do Brasil. O nome, no entanto, refere-se à baixa altura da planta em que nasce essa banana, na verdade uma das maiores variedades comercializadas. Bananas para fritar são as variedades de banana-da-terra e figo; a nanica, por sua vez, deve ser preparada apenas à milanesa, porque, do contrário, se desmancha na fritura, ou assada. A “banana chips”, novidade deliciosa do Norte do Brasil, é feita com variedades de pacovas e também costuma ser assada. Banana para cozinhar é, especialmente, a variedade da terra. Banana para preparar a passa é a prata. Banana para compotas são as variedades figo e nanica. Bananas para bananadas, doces de colher e de cortar, são de preferência a prata, mas também a nanica. Bananas para farinha são quase todas, quando verdes.

Antes da chegada dos europeus à América, ao que tudo indica, as bananas não constituíam parte principal da dieta das populações nativas. Sabe-se que por aqui existiam algumas espécies de bananeiras nativas, cujos frutos, porém, não eram comidos crus, necessitando de preparo ou de cozimento prévio.

Bananeiras

Presume-se que foi apenas no início do século 15, portanto, que a banana, seu cultivo e seus usos foram introduzidos no continente americano, a partir da ilha de São Domingos. Mas foi apenas na segunda metade do século 19 que a fruta ganhou expressão no comércio mundial com o estabelecimento de grandes produções no Caribe e nos países da América Central.

Atualmente, no Brasil, encontram-se bananas em qualquer parte, destacando-se as regiões Sudeste (São Paulo e Minas Gerais) e Nordeste (Bahia, Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte) como as maiores produtoras nacionais da fruta, onde se encontram extensos bananais. Dados do IBGE de 2002 indicam que esses estados foram responsáveis por quase 60% da produção de cerca de 6 milhões de toneladas de bananas, seguidos ainda pelos estados do Pará e de Santa Catarina.

O Brasil é o segundo maior produtor de bananas do mundo, perdendo apenas para a Índia e, embora seja uma das principais frutas brasileiras destinadas a exportação, superada apenas pela laranja, a banana brasileira ainda não satisfaz plenamente as fortes exigências dos mercados externos. Assim, a maior parte da enorme produção brasileira destina-se ao mercado interno, sendo o país o maior consumidor mundial da fruta.

Folha de bananeira

O conhecimento desse fato, aliás, prescinde da análise de tabelas e estatísticas, bastando observar as incontáveis formas de aproveitamento que o brasileiro inventou para a banana. Parte importante da dieta alimentar da população em geral, a fruta predileta do Brasil é ingrediente de uma grande quantidade de pratos típicos das culinárias regionais de todo o país.

Bananas existem muitas. As comestíveis são agrupadas em variedades de acordo com a consistência e a coloração da casca e da polpa. Mas, para cada função ou uso, uma é melhor do que a outra, respeitando-se as preferências regionais e pessoais.

Antes de amadurecerem, as bananas são, em geral, de cor verde. Nesse caso, o sabor é adstringente e intragável: diz-se que quando a banana está verde, ela “pega” na boca. Isto porque, antes da maturação, as bananas compõem-se, basicamente, de amido e água. Tanto é assim que, com a maioria das bananas verdes, pode-se produzir uma farinha extremamente nutritiva, que tem inúmeras aplicações na alimentação, desde o preparo de mingaus até biscoitos. No processo de amadurecimento, a maior parte do amido contido nas bananas transforma-se em frutose, glicose e sacarose. E é por isso que, de maneira geral, a banana é uma das mais doces entre todas as frutas.

Mudas de banana

Fonte natural de energia, a banana é um alimento bastante indicado para a reposição energética após a realização de esforços físicos intensos. Além dos açúcares e do amido – este último responsável pela sensação de saciedade prolongada que o consumo da fruta propícia -, a banana contém grandes quantidades de carboidratos. Apesar de todos esses componentes, ao contrário do que muitos pensam, a banana tem baixas calorias – cerca de 100 gramas equivalem a 96 calorias – e baixíssima porcentagem de gordura, além de carregar grandes quantidades de vitaminas dos grupos E, C e B, ácido fólico e sais minerais (ferro, cobre, cálcio, potássio, magnésio e fósforo).

Considerada por muitos a fruta perfeita, a banana destaca-se por suas muitas qualidades: amadurece aos poucos, fora do pé, facilitando a colheita, o transporte e o aproveitamento; a banana é fácil de mastigar, nem muito dura, nem muito mole; não dá trabalho para descascar; é fácil de comer e não suja as mãos com sucos ou caldos; tem um gosto bom, nem doce demais, nem azeda; não é enjoativa ou indigesta; a banana é altamente nutritiva, bastando umas poucas para matar a fome; é totalmente aproveitável e sem caroços; não tem espinhos, nem fiapos, nem bichos; nasce em todo tipo de solo e pode ser encontrada durante o ano inteiro.

Artesanato com fibras de folha de bananeira

O elogio à banana não tem fim: Câmara Cascudo, por exemplo, afirma que ela tem ainda mais uma utilidade, desta vez para a ciência antropológica. Sendo planta cuja propagação se dá, por excelência, através do cultivo, a existência ou não de bananas na dieta alimentar de um grupo indígena ou comunidade seriam, para ele, indicadores seguros do seu grau de isolamento. E cita como exemplo o geólogo Karl von den Steinen, que, quando esteve na área xinguana, no Planalto Central do Brasil, no final do século 19, espantou-se ao descobrir que as populações que ali viviam não conheciam uma das melhores e mais lindas frutas existentes. Dizia o viajante sobre a cultura daqueles povos: “Não há metais, nem cães, nem bebidas embriagadoras, nem bananas! Eis aqui uma verdadeira idade da pedra…”.

Fonte: Livro Frutas Brasil Frutas

Artigos relacionados:


 

Fruta – Banana

Nome da fruta: Banana
Nome científico: Musa spp
Família: Musaceae
Categoria: Doce

É um alimento de alto valor nutritivo. Pena que a maioria das pessoas não sabe como ingeri-la para, na verdade, usufruir de todos os seus benefícios medicinais. Uma banana tem 21% de carboidratos, também é rica em proteínas. Sais minerais: potássio (cada 100 gramas possui 400 mg), sódio, fósforo, cálcio, ferro, silício, enxofre. Vitaminas: A, B1, B2, B5, C e E. Fibras solúveis. Tem uma substância chamada triptofano que, no intestino, se transforma em serotonina. Nesse orgão é que se forma o hormônio, responsável pela alegria e bem-estar. É por isso que a banana é também considerada um antidepressivo natural, desde que ingerida de maneira correta.
Ela possui também uma enzima chamada bacilo acidófilo, que combate todas as enfermidades intestinais. Preste atenção nesta informação: os resíduos alimentares, enquanto estão no intestino grosso aguardando a sua eliminação, desenvolvem processos degenerativos no nosso organismo. Isso causa doenças que vão surgir e que nós não podemos nem imaginar quais serão. As bananas são de vital importância, pois evitam esse processo, em poucos dias alimentando-se de bananas cruas ou cozidas no sistema de vapor (colocá-las com casca dentro da travessa perfurada encaixada na travessa lisa, cozinhar por cerca de 10 minutos, remover as cascas e ingerir quando estiverem de mornas para frias). Esta enzima é tão potente que, mesmo você parando de comer as bananas hoje, ela predomina e continua agindo ainda por cerca de 3 dias. Devemos consumir bananas sempre maduras, pois assim todo o amido já se converteu em açúcar, o que a torna mais assimilável, e sempre ingeri-la uma hora antes das refeições ou duas horas depois.
Contrariamente ao que se crê, esta é uma fruta de fácil digestão e é indicada em casos de acidez e úlcera do estômago, em certas afecções do coração ou rins. Na verdade, a banana age como uma esponja no sistema digestivo, limpa e absorve os resíduos nele contidos. Para muitas pessoas a banana é indigesta. Isso ocorre por causa da presença de acetato de amila e tanino, que são indigestos para algumas pessoas. Preparadas no sistema a vapor, essas substâncias são eliminadas, mas os nutrientes são preservados, e imediatamente você vai perceber que não sentirá mais azia, peso no estômago, insônia etc.
A banana equilibra o pH do organismo. É recomendada em casos de gastrite, é preventiva natural de úlceras, evita diarréias, fortalace os vasos anguíneos, regula os processos digestivos, funções do fígado e rins, ajuda a aliviar a síndrome pré-menstrual, na regularização do sistema nervoso, protege o coração. É eficiente no combate à doenças das vias respiratórias, principalmente contra tuberculose, asma e pneumonia. Nestes casos, quando as bananas são preparadas no cozimento a vapor, seus benefícios são mais potencializados. Por ser grande fonte de potássio, previne problemas como as cãimbras e contrações dos músculos, além de ser um anabolizante natural.
Uma banana média fornece cerca de um terço das necessidades diárias recomendadas de potássio (a banana-nanica tem maior concentração de potássio que as demais). Quando for dançar ou praticar esportes, leve sempre com você duas bananas, ingerir uma 30 a 45 minutos antes e a outra quando terminar de dançar ou praticar algum esporte. Esse hábito repõe o potássio perdido, pois o piscar de olhos já faz com que percamos potássio. Esse mineral é tão importante que nós e as árvores ficamos em pé em virtude de sua presença. Sem ele simplesmente nós e as árvores dobraríamos.

O valor nutricional dos diversos tipos de banana

É semelhante, porém o valor calórico se diferencia bastante de acordo com sua variedade. Em média, 100 gramas de banana têm 80 calorias. A banana possui frutose e amido, substâncias que o corpo transforma em energia.
A sua polpa branca é saborosa e é um excelente alimento para crianças e idosos, assim como o inhame cozido no vapor, uma vez que tem grande poder antirraquítico. Em algumas regiões onde se cultivam, são consumidos em substituição ao pão branco, pois os valores nutricionais tanto da banana quanto do inhame são incomparáveis.

Observações:

Não se deve comer banana quando ela passar do ponto de madura (geralmente a casca encontra-se preta, a fruta apresenta-se bastante flácida e soltando líquido). Neste caso a banana é prejudicial à saúde, pois formaram-se vários tipos de álcoois;
Misturada com pão, trata-se de uma combinação errada, pois causa fermentações pútridas.
A casca pode também ser utilizada para engraxar sapatos. Basta aplicar a parte interna fresca sobre calçados de couro. Quando massageamos as pernas ou outras partes com a casca da banana (parte branca), hidratamos toda a região. Nas pernas melhora a circulação e é um preventivo natural contra varizes. Também se faz um ótimo bolo da casca.
A banana-prata madura em forma de papa pode ser adicionada à alimentação infantil, a partir dos 6 meses de idade.

Fonte: Livro As 50 Frutas e Seus Benefícios Medicinais

Artigos relacionados:


 

Design © 2006 por the undersigned | Patrocinador: Weber Poker Tables| Tradução por: BlogueIsso!