Fruta – Cajá-manga

Nome da fruta: Cajá-manga

Nome científico: Spondias dulcis Parkinson

Família botânica: Anacardiaceae

Categoria:

Origem: Ilhas do Pacífico

Características da planta: Árvore geralmente com até 8 m de altura que tem uma resina translúcida, muito aromática. Folhas compostas, de bordos serreados, com glândulas odoríferas. Flores pequenas de coloração creme-esbranquiçada.

Fruto: Tipo drupa, oval ou alongada, de casca verde ou levemente amarelada. Polpa comestível, muito aromática, de sabor ácido, envolvendo uma semente.

Frutificação: Verão e outono

Propagação: Semente

Quem, com o passar de alguns meses, quiser reencontrar uma mesma árvore de cajá-manga em outra estação há de deparar com uma surpresa.

Na passagem entre os meses secos e chuvosos, a árvore terá mudado significativamente de aparência: na ausência de chuvas, suas folhas de coloração verde brilhante nas extremidades terão passado a amarelas e pouco restará de seu aspecto característico na secura da Caatinga.

De dezembro a julho, a árvore – de porte médio, copa descontínua e ramos alongados – guardará seu maior benefício: estará repleta de cajás-mangas, maduros e prontos para serem facilmente colhidos. Um dos mais azedos frutos da família das Anacardiáceas, o cajá-manga possibilita usos bons e variados, sendo próprio para refrescos em geral e sorvetes.

Também conhecido como cajarana e taperebá-do-sertão, o cajá-manga é um fruto em formato elipsóide com até 10 cm de comprimento por 9 de diâmetro. Dividido ao meio por uma risca natural, há quem diga assemelhar-se a uma barriga de mulher grávida. Sua casca é amarelo-ouro ou pardacenta, envolvendo uma polpa agridoce e um caroço grande quando comparado ao tamanho do fruto.

A sua origem está mais bem definida do que a de algumas de suas primas, como o cajá. Presume-se que seja nativa das ilhas da Sociedade e de Fiji, localizadas na zona meridional do oceano Pacífico. Sabe-se com precisão que foi introduzida na Jamaica em 1872, sendo conhecida em inglês como “ambarella” ou “golden apple”. Supõe-se que tenha chegado ao Brasil através de Caiena.

A árvore adaptou-se bem não só aos jardins e pomares domérticos da “Terra Brasilis”, mas também ao clima do semi-árido nordestino, no qual em muitos pontos se tornou parte indissociável da paisagem e da cultura locais.

Todavia, de maneira alguma, apreciá-la é um privilégio brasileiro: hoje, o cajá-manga está difundido por quase todos os países tropicais do mundo.

Fonte: Frutas Brasil Frutas

Artigos relacionados:


 

Design © 2006 por the undersigned | Patrocinador: Weber Poker Tables| Tradução por: BlogueIsso!