A história do jatobá

Nome científico: Hymenaea courbaril var. stilbocarpa (Hayne) Y.T. Lee & Langenh

Família botânica: Fabaceae (Leguminoseae – Caesalpinoideae)

Categoria: Doce

Origem: América tropical

Características da planta: Árvore geralmente com 20 metros de altura, tronco ereto, copa larga, folhas compostas, oblongas e acuminadas. Flores pequenas, reunidas em inflorescência terminal, de coloração esbranquiçada ou avermelhada.

Fruto: Tipo legume, alongado e arredondado, coriáceo, indeiscente, de coloração marrom-avermelhada e brilhante quando maduro. Sementes envoltas em polpa farinácea, de cor branco-amarelada e de sabor adocicado, aromática.

Frutificação: Primavera e verão

Propagação: Semente

 

O jatobá é um  fruto comestível. Apresenta-se sob a forma de uma baga. A polpa do jatobá possui minerais como o fósforo e o cálcio. Sua fonte de cálcio é três vezes maior que a do leite de vaca.
O jatobá contêm uma seiva (resina) que é obtida perfurando-se o tronco. Essa resina é também expelida pelo tronco e ramos, naturalmente, em grandes quantidades.
A seiva do jatobá pode ser utilizada na forma de suco, ingerindo um copo 1 ou 2 vezes por dia no caso de adulto. Para a criança basta um copo diluído durante o dia. Preparar o suco com a seiva do jatobá adicionando uma colher (café) da seiva para um copo de água. Pode adoçar o suco da seiva do jatobá com mel. Esse suco é ótimo contra a debilidade geral do organismo, fortalecendo-o nas afecções pulmonares. Nos casos de cistite aguda, essa resina produz efeitos maravilhosos nas crianças, age como tônico geral. E também nos adultos fortalece todo o sistema imunológico de maneira incrível.

Decepciona-se aquele que espera encontrar no jatobá um fruto que faça jus à sua importância e ao gigantismo da árvore que o produz. A dura casca marrom-avermelhada do fruto do jatobá esconde apenas uma polpa farinácea e amarelada, envolvendo cerca de 10 sementes pequenas. Doce, sim, e agradável ao paladar, é sem dúvida pouco apetitosa ou volumosa. O jeito, então, é aproveitar o jatobá no preparo de nutritiva farinha, com valor nutricional equivalente ao do fubá de milho.

Mas, obviamente, o jatobá não agrega tanta fama apenas por causa de seu fruto, uma fava semelhante ao ingá e ao tamarindo. A altura, o porte elegante e a largura de seu tronco (que chega a alcançar mais de 1 metro de diâmetro), são o que mais chama a atenção no jatobá. Sendo uma das maiores árvores por aqui existentes, o jatobá torna-se indispensável na arborização de parques e jardins e ainda na composição de áreas reflorestadas.

O jatobá tem duas importantes qualidades somando-se a todas essas: a fácil germinação da sua semente, que permite sua rápida multiplicação, e a longevidade. Pelo interior do país, é comum ouvir-se dizer que alguém “é velho como um jatobazeiro“, numa referência àquele que se mantém vivo e lúcido, apesar da idade avançada.

Encontrado em diferentes variedades na extensa região que vai do Piauí ao norte do Paraná, infelizmente a madeira é o produto mais valorizado do jatobá. Pesada, dura e resistente, é usada habitualmente na construção civil, mas também para acabamentos internos de casas.

Mas quem derruba o jatobazeiro só para aproveitar sua madeira certamente desconhece os outros valores de que está abdicando. A resina que se retira do tronco do jatobá, além de apropriada para a fabricação de verniz, parece ter importantes propriedades curativas, sendo utilizada, na medicina popular, no auxílio do tratamento de bronquite, asma, laringite e deficiências pulmonares em geral.

Fontes: Livros Frutas Brasil Frutas e As 50 Frutas e seus Benefícios Medicinais

Artigos relacionados:


 

Design © 2006 por the undersigned | Patrocinador: Weber Poker Tables| Tradução por: BlogueIsso!