Fruta – Jenipapo

Nome da fruta: Jenipapo

Nome científico: Genipa americana L.

Família botânica: Rubiaceae

Categoria: Semiácida

Característiscas da planta: Árvore geralmente com 15 metros de altura. Folhas grandes, lisas. Flores vistosas, de coloração amarela, reunidas em inflorescência.

Fruto: Tipo baga, globoso ou ovóide. Polpa doce e ácida, suculenta, de aroma forte, que envolve as numerosas sementes.

Frutificação: Quase o ano todo.

Propagação: Semente

O jenipapo possui as vitaminas B1, B2, B5 e C. Minerais: cálcio - 249 mg em 100 gramas e ferro.
O melhor uso do jenipapo é ao natural ou em forma de suco. Do jenipapo também se faz um ótimo licor, encontrado principalmente no Nordeste brasileiro. A quantidade do mineral ferro existente no fruto supre as nossas necessidades diárias se fizermos sempre uso dele.

O consumo do jenipapo é ótimo no combate à asma e contra os vômitos durante a gravidez, chegando mesmo a eliminá-los.

O seu suco é utilizado por algumas tribos indígenas brasileiras para enegrecer o rosto e o corpo.

O jenipapeiro traz na sua história uma contradição. Há quem diga se tratar de uma árvore doméstica, raramente encontrada no interior dos matos, uma árvore que “gosta de gente”. E há aqueles que temem sua proximidade, acreditando que a árvore guarda fantasmas, poderosos o bastante para impedir o crescimento dos rebanhos de gado.

Outros, ainda mais céticos e práticos, têm uma razão diferente para não indicar o plantio do jenipapeiro próximo às casas: quando maduros, os frutos de pouco mais de 10 cm de diâmetro caem do alto dos 15 metros da árvore com força suficiente para destruir telhas ou mesmo atravessar telhados.

Porém, o jenipapo oferece diversas compensações para esses melefícios eventuais. Além de ser largamente empregado na produção artesanal de xarope para tosse (conhecido no Nordeste pelo nome de “lambedor“) e da crença de que dá energia aos homens e maior poder de atração às mulheres, o jenipapo por si só, maduro ou verde, é muito apreciado pelas populações das regiões onde ocorre. Tanto na Amazônia, de onde é originário, como no Nordeste e Centro-Oeste, por onde se espalhou.

Atualmente o jenipapo está muito difundido, sendo encontrado com frequência por toda a América tropical e em outras regiões do planeta de clima semelhante, cultivado ou espontâneo.

Quando maduro, a polpa do jenipapo, simultaneamente adocicada e azeda, pode ser utilizada em refrescos, sucos, vinhos, vitaminas, compotas e doces cristalizados. Cozinhando-se o jenipapo e adicionando cachaça e mel, obtém-se um saboroso e apreciado licor. A polpa do jenipapo, cortada em pedaços e amassada, misturada com açúcar e deixada por algumas horas resfriando em geladeira, transforma-se na famosa jenipapada. A fruta também é comida diretamente com açúcar ou frita na manteiga e condimentada com açúcar e canela.

Quando verde, no entanto, o fruto tem uso bem distinto. A polpa oferece um líquido a princípio transparente que, em contato com o ar, oxida-se e ganha uma coloração entre azul-escura e preta, tornando-se uma boa tinta. Essa tinta era utilizada pelos índios desde antes da chegada dos europeus na América, para fazer pinturas corporais e para adornar objetos em geral. No corpo, só desaparece depois de uma semana ou mais, espontaneamente. Na madeira, é praticamente irremovível. O nome jenipapo originou-se justamente dessa sua qualidade, derivando do tupi-guaraninhandipab” ou “jandipab“, que significa “fruto que serve para pintar“.

O jenipapeiro, da família das Rubiáceas, ainda oferece madeira branca, fina, de fácil manejo a faca e apropriada para esculturas e tornos. A fruta, de fácil colheita e farta durante quase todos os meses do ano, embora encontrada pelas feiras do Norte e Nordeste e utilizada artesanalmente na produção de tintas, não é produzida em escala comercial.

Maduro e enrugado

Pode-se reconhecer que o fruto do jenipapeiro está maduro por sua consistência e coloração. O jenipapo torna-se mais agradável para o consumo ao natural quando amadurece e amolece no ; sua casca enruga-se e adquire uma coloração avermelhada ou amarelada, diferente da cinzenta e áspera do fruto verde.

Medicina popular, indicações para o jenipapo

Xarope de jenipapo contra bronquite

Cortar 3 jenipapos “de vez” em pedaços, adicionar um limão-galego com casca em pedaços e 2 litros de água. Deixar cozinhar por aproximadamente 40 minutos, deixar esfriar e adicionar mel. Adultos, ingerir uma colher (sopa) de 2 a 3 vezes por dia. Crianças, uma colher (chá) de 1 a 3 vezes por dia.

Suco de jenipapo afrodisíaco

Bater no liquidificador jenipapos, uma colher (chá) de Tribulus terrestris, uma colher (chá) de mel, adicionar água. Ingerir o conteúdo em seguida, 1 vez por dia.

Vômitos da gravidez e asma

Cozinhar o suco do jenipapo até que fique reduzido à metade. Tomar morno uma colher (sopa) a cada 2 horas.

Anemia

Ingerir um copo do suco do jenipapo várias vezes durante o dia. Se quiser pode adoçar com melado de cana.

Enterite crônica

Tomar o suco de jenipapo adoçado com mel, um copo várias vezes por dia.

Elefantíase

Suco natural do jenipapo, tomar 200 ml, 4 vezes durante o dia.

Fontes: Livro As 50 Frutas e seus Benefícios Medicinais e  Frutas Brasil Frutas

Artigos relacionados:


 

Design © 2006 por the undersigned | Patrocinador: Weber Poker Tables| Tradução por: BlogueIsso!