Fruta – Limão-cravo

Nome da fruta: Limão-cravo

Nome científico: Citrus bigaradia Loisel.

Família botânica: Rutaceae

Categoria:

Características da planta: Árvore de pequeno porte, chegando a cerca de 5 metros de altura, copa arredondada. Folhas de coloração verde intenso e pecíolo alargado, fortemente aromáticas quando maceradas. Flores pequenas, alvas, aromáticas e melíferas.

Fruto: Tipo esperídio, globoso, ligeiramente achatado, casca de coloração verde-amarelada, amarela ou amarelo-avermelhada na maturação. Polpa ácida, amarga, envolvendo muitas sementes.

Frutificação: Inverno

Propagação: Enxertia

Entre os cítricos, não há árvore mais resistente do que a do limão-cravo. Não foi à toa, portanto, que ela difundiu-se com mais facilidade e velocidade por todos os recantos da América, assim que a família dos frutos cítricos foi trazida da Europa.

Agora, quase não há rincão, quintal ou km silvestre deste continente em que não haja – ou em que não tenha havido um dia – pelo menos um limoeiro-cravo. Proveniente da Ásia, talvez seja a árvore exótica que melhor tenha se adaptado a estas terras que se denominam Brasil, podendo ser encontrado em qualquer beira de praia ou pasto pelo interior.

Pequeno, rústico, de folhas muito verdes, quando frutifica o limoeiro-cravo fica pontilhado de frutos feios, porque manchados e irregulares, quase disformes, de forte cor alaranjada, por fora e por dentro. No entanto, se a casca do limão-cravo, de aparência grosseira e agreste, é suscetível ao ataque de agentes externos como fungos e doenças, por dentro ele costuma permanecer sempre são e com bastante sumo.

Também conhecido por limão-francês ou limão-vinagre, a fruta, em si, não apetece a vista, mas vale o fechar dos olhos: a polpa azedíssima, já não tão laranja, desfaz-se em um saborosíssimo suco, ainda mais rico em vitamina C do que o de seus parentes mais conhecidos. Com tantas excelentes qualidades, o limão-cravo tem fiéis consumidores entre aqueles que o encontram nos fundos de quintais e pomares.

O principal uso do limoeiro-cravo, entretanto, talvez seja um pouco menos nobre do que o consumo do suave e ácido suco de seu fruto. Uma das características mais apreciadas da planta é justamente a resistência e a rusticidade da árvore, e não particularmente a riqueza e o sabor da fruta: no Brasil, essa árvore costuma ser o cavalo preferido para enxertia dos demais cítricos, sobretudo da laranja e do limão-taiti.

Embora, dessa forma, o limoeiro-cravo continue prestando um importante serviço, certamente não deixa de ser um pena a pouca ou nenhuma produção comercial de seu fruto, o próprio limão-cravo.

Artigos relacionados:


 

Design © 2006 por the undersigned | Patrocinador: Weber Poker Tables| Tradução por: BlogueIsso!