Fruta – Limão-siciliano

Nome da fruta: Limão-siciliano

Nome científico: Citrus limon (L) Burn.F.

Família botânica: Rutaceae

Categoria:

Origem: Índia

Características da planta: Árvore de pequeno porte, chegando a cerca de 6 metros de altura, ramificada desde a base, ramos armados de espinhos, copa arredondada. Folhas de coloração verde intenso, fortemente aromáticas quando maceradas. Flores pequenas, alvas a rosadas.

Fruto: Tipo hesperídio, globoso, ligeiramente alongado, às vezes pontiagudo nas extremidades, casca lisa ou ligeiramente áspera, de coloração verde na maturação. Polpa clara, ácida, envolvendo muitas sementes.

Frutificação: Inverno

Propagação: Enxertia

Quem quiser teimar em discordar está certamente no seu direito, mas este fruto amarelo e grande é o único verdadeiro limão. O nome científico, Citrus limon, está aí para prová-lo. Talvez fosse mais preciso substituir o adjetivo “verdadeiro” por “original”, uma vez que, provavelmente, foi deste limão que derivou o fruto verde e pouco menor para o qual no Brasil se atribui o nome de limão-taiti. Este, na verdade, é uma lima-ácida, mais próxima da lima-da-pérsia – uma lima doce – do que o próprio limão-siciliano.

Mas, se o primeiro nome é verdadeiro, essa fruta também carrega uma falsidade, pois o limão-siciliano não provém exatamente da Sicília, uma ilha localizada ao sul da Itália. Como esse é o nome pelo qual a fruta se tornou mais conhecida apenas no Brasil, é possível que tenha chegado por aqui pelas mãos de imigrantes italianos que a conheciam em sua terra natal.

O que se sabe com certeza, no entanto, é que sua origem, como a de todos os demais cítricos, é asiática. Tudo indica que foi só no século 12, muito tempo após o início de seu cultivo e de seu consumo, que o limão-siciliano foi levado para a Europa. E foi lá, sobretudo nas regiões no entorno do mar Mediterrâneo, que seu uso adquiriu incrível importância, talvez incomparavelmente maior do que o de qualquer outra fruta conhecida.

Na Europa e em muitas outras regiões do planeta, sobretudo nas zonas temperadas, faz-se do limão-siciliano tudo o que se faz no Brasil com o limão-taiti, e muito mais. Exceto, talvez, a caipirinha, marca registrada nacional. Como protagonista ou coadjuvante, em receitas elaboradas ou prosaicas, utilizado por completo, em raspas da casca ou em módicas gotas de suco, o limão-siciliano ganhou a culinária mundial.

Comparado ao limão-taiti, o limão-siciliano pode ser descrito como mais profundo e delicado, sendo o primeiro mais forte, azedo e poderoso do que o siciliano. Assim, apesar de substitutos um do outro em quase tudo, nas receitas é preciso observar as quantidades, que costumam ser superiores quando se trata do limão-siciliano.

No Brasil, a produção de limão-siciliano é praticamente insignificante, se comparada à do limão-taiti, sendo, em geral, mais voltada para a indústria de bebidas. Ele pode ser encontrado até com alguma facilidade em feiras e supermercados das regiões Sul e Sudeste, mas sempre a preços relativamente altos. Uma realidade, todavia, que pode estar mudando, uma vez que a demanda do mercado e a produção têm crescido velozmente nos últimos anos.

Fonte: Livro Frutas Brasil Frutas

Artigos relacionados:


 

Design © 2006 por the undersigned | Patrocinador: Weber Poker Tables| Tradução por: BlogueIsso!