Nome da fruta: Cupuaçu

Nome científico: Theobroma Grandiflorum

Família: Sterculiaceae

Categoria: Ácida

O cupuaçu possui as vitaminas C, A, B1 e B2. Sais minerais presentes na fruta: potássio, selênio, cálcio, fósforo, ferro, além de proteínas.

Seu fruto possui pectina, dois aminoácidos em média, 316 mg de lisina e 60 mg de triptofano. O triptofano no nosso estômago se transforma em serotonina, que é o hormônio da alegria e do bem-estar.

Fruta muito saborosa e de cor marrom, o cupuaçu tem a casca dura. Os índios a utilizam como adubo e ela corresponde a cerca de 40% do seu peso. O fruto pesa em média 2 quilos; existem frutos que chegam a pesar em torno de 4 quilos. Cada um tem em média 35 sementes.

Da sua polpa (encontramos no mercado brasileiro e estrangeiro) são feitos sucos, por sinal de ótima qualidade, e cremes, bastante utilizados na culinária amazônica e na paraense. Também é empregada na elaboração de sorvetes, geleias, bombons, iogurtes etc. e tem vasta utilização como cosmético.

Essa fruta brasileira que poucos conhecem é mais uma dádiva da natureza, considerado – assim como a uva (extrato), o pêssego e a maçã – um alimento dos deuses. Atualmente é pesquisado em vários países do mundo, sendo dissecado à procura de seus nutrientes para logo o fazerem sintético. E lamentavelmente os estrangeiros descobriram suas propriedades medicinais antes de nós.

Essa fruta, nativa da Floresta Amazônica, muito consumida pelas tribos indígenas, é encontrada com facilidade na Alemanha, Inglaterra, Japão e França.

O cupuaçu apresenta baixo valor calórico, inclusive 4 vezes menos do que o açaí. Em 100 gramas de cupuaçu há 60 calorias.

As suas sementes são ricas em gorduras e proteínas (presentes mais nas sementes do que na polpa) e possuem uma substância, o cupulate, que é uma espécie de chocolate, que já vem sendo utilizado em substituição ao cacau, assim como a alfarroba. As sementes são transformadas também em pó e utilizadas para fazer leite e manteiga.

Fonte: Livro As 50 Frutas e Seus Benefícios Medicinais

O poder do cupuaçu
Classificado como:                                

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *