Arquivo da tag: B12

Fruta – Melancia

Nome da fruta: Melancia

Nome científico: Citrullus lanatus

Família: Cucurbitaceae

Categoria: Monofágica

A melancia é uma fruta que possui excelentes propriedades diuréticas e por isso é recomendada aos que têm problemas renais, reumatismo e ascites. Quando ingerimos melancia, ela provoca limpeza dos filtros renais e ajuda bastante na eliminação do ácido úrico e nos problemas das vias urinárias. Previne problemas do fígado, da próstata, por causa da presença de uma substância chamada licopeno. Seu consumo constante melhora as funções intestinais, em forma de suco ou ao natural. Em sua composição, 97% é água.
Deve ser ingerida quando estiver madura, não é indigesta, e a maneira correta de ingeri-la é uma hora antes das refeições ou duas horas após. 100 gramas têm 31 calorias.
A melancia possui as vitaminas A, B1, B2, B5, C e traços da B12. Minerais: fósforo, cálcio e ferro.

O poder da uva

Nome da fruta: Uva

Nome científico: Vitis Vinifera

Família: Vitaceae

Categoria: Ácida

A uva possui as vitaminas A, C, D, E, K e todas as vitaminas do complexo B, inclusive a vitamina B12 (que é rara nos vegetais); essas vitaminas são chamadas de lipossolúveis.

Encontramos também minerais como: potássio, enxofre, silício, ferro, fósforo, magnésio, cálcio, cloro, sódio e proteínas. Possui também ácido fólico, ácido pantotênico (fortalece o sangue), ácido paraminobenzoico, mesoinosital, biotina, colina e nicotinamida, além de substâncias como: flavanoides, polifenóis, resveratrol e leucoantocianidinas.

Flavanoides – Estão pesentes nas cascas da uva. São um poderoso hidratante natural da pele, evitam a oxidação das células e que as lipoproteínas, moléculas que reúnem gorduras e proteínas, causem o entupimento das artérias (arteriosclerose). São também anti-inflamatórios. Principal componente do própolis, melhoram a qualidade do sangue, aumentam a taxa do colesterol bom (HDL) e ajudam a inibir a produção de substâncias responsáveis pelo enrijecimento das artérias.

Polifenóis – são substâncias obtidas das sementes da uva, que possuem fenóis em sua estrutura molecular, contribuem para a firmeza e mantêm a elasticidade da pele (dessa forma evitam o rompimento de fibras elásticas da pele, o que causa as estrias), mantendo-a jovem. Isso porque contêm agentes antioxidantes.

Evitam e combatem a gordura localizada e previnem o surgimento da celulite.

Resveratol – evita o enfarte e o derrame em 70% a 80%, também retarda o envelhecimento e previne doenças do sistema circulatório. É um grande aliado no combate ao câncer e à herpes.

leucoantocianidinas – substâncias encontradas somente na semente da uva preta (Santa Isabel). São o maior agente antioxidante do mundo; 60 vezes mais poderosas que a vitamina C.

Esse fruto e principalmente o seu extrato é considerado ideal na recuperação de casos de anemia, fadiga e stress, graças à sua capacidade de regeneração. Embora não esteja totalmente comprovado, pensa-se que o seu consumo diminui também as probabilidades de desenvolvimento de cancro. Certo é que o seu consumo melhora a função renal (indicada contra nefrite); é excelente ainda no combate aos males do fígado, mal de Alzheimer, deficiência mental, fortalece as funções cerebrais, combate doenças da bexiga e ajuda a eliminar o ácido úrico. O fruto é depurativo do sangue e ligeiramente diurético. O teor de açúcar é elevado, o que faz com que seja muito calórico.

A partir das uvas também se obtém um fruto seco: as uvas-passas, que ajudam no combate à labirintite (as de cor escura). As uvas aumentam a secreção biliar, estimulam os centros nervosos, fortalecem a circulação e proporcionam vigor e pureza ao sangue.

São insubstituíveis no tratamento de inflamações e desordens do aparelho digestivo (fígado e baço), afecções respiratórias e circulatórias, cálculos, enfermidades dos orgãos genitais e urinários, intoxicações. Também são cicatrizantes, um poderoso antioxidante natural.

Esse fruto é um alimento refrescante e energético, tradicionalmente usado para tratar problemas como artrite e o reumatismo. Pela sua variedade de fitonutrientes, isto é, pela grande quantidade de potássio, as uvas também são usadas para aliviar a reteção de líquidos e a micção dolorosa.

Vale lembrar que as mais escuras possuem maior quantidade desses fitonutrientes. Aliás, quanto mais escura a uva, melhor. Mas o poder medicinal dessa fruta, nomeadamente o seu extrato, produz efeitos positivos nos distúrbios hepáticos, com a hepatite, a ictéria e a hipoglicemia.

Aconselha-se ingerir a fruta ou o seu extrato longe das refeições, isto é, uma hora antes ou duas horas depois, uma vez que fermentam no estômago rapidamente. Já para quem tem pressão alta e diabetes, o consumo do extrato e da própria uva deve ser bastante moderado, evitando excessos.

Fonte: Livro As 50 frutas e Seus Benefícios Medicinais