Fruta – Cutite

Nome da fruta: Cutite

Nome científico: Pouteria macrocarpa (Mart.) D. Dietr.

Família botânica: Sapotaceae

Categoria:

Origem: Região amazônica

Características da planta: Árvore geralmente de até 30 metros de altura, porém, quando em cultivo, atinge menor porte, troncos e ramos com casca descamante. Folhas grandes de até 25 cm de comprimento. Flores pequenas, creme-esverdeadas reunidas em inflorescências.

Fruto: Tipo baga, globoso, com cerca de 10 cm de diâmetro, casca lisa, verde amarelada, apresentando fissuras quando maduro. Polpa amarela, compacta, ligeiramente ácida.

Frutificação: Inverno

Propagação: Semente

A fruta possui em cada 100 gramas:

Energia – 92 Kcal

Proteína – 20,27 g

Lipídios – 0,47 g

Carboidratos – 1,72 g

O cutite não atiça o apetite do consumidor pela sua aparência. Quem o encontra nas feiras do país, sobretudo na região Norte, não o conhecendo geralmente não se sente impelido a prová-lo. Sua coloração, de um verde desbotado em amarelo manchado, somada a um extremo enrugamento quando maduro, tende a suscitar a desconfiança de quem dele se aproxime, que pode julgá-lo como fruta apodrecida. Trata-se apenas de um fruto silvestre, nativo e típico da floresta.

Para os corajosos que atravessam a casca surpreendentemente fina do cutite, no entanto, a fruta revela, além de sementes muito negras e brilhantes, uma polpa macilenta, amarela, de cheiro forte e sabor agradável e doce.

O cutite é fruto de uma árvore pequena, de 6 a 10 metros de altura, mas que, nos bosques, pode chegar a quase 30 metros. Originária das zonas costeiras do Pará e do Maranhão, onde se encontra ainda hoje em abundância em zonas silvestres ou hortas caseiras, a planta adapta-se a toda a região amazônica. Seus frutos amadurecem a partir de julho, quando podem ser encontrados nas feiras. Porém, mesmo nesses dois estados não se faz uso comercial significativo desses frutos.

Da mesma família do abiu, do sapoti e do caimito, o cutite tem uso potencial na indústria de sorvetes, uma vez que a polpa farinhenta, de sabor suave e escasso, pode ser misturada com a polpa de outras frutas locais de sabor forte demais.

Fontes: Livro Frutas Brasil Frutas,  Alimentos Regionais

Artigos relacionados:


 

Fruta – Manga

Nome da fruta: Manga

Nome científico: Mangifera indica

Família: Anacardiaceae

Categoria: Doce

A manga é de origem asiática. Na Índia, é considerada  rainha das frutas. Lá existem mais de 500 variedades da fruta. Sua cultura espalhou-se nas regiões tropicais e subtropicais, onde teve fácil adaptação. Existem inúmeras variedades dessa fruta, que é mais uma dádiva da natureza do Brasil. Temos mangas ricas em nutrientes, de excelente sabor e muito bonitas. Hoje temos no Brasil cultivo de mangas que são exportadas e muitos desses cultivos estão no Nordeste, ao longo do Rio São Francisco. Seu valor nutricional é muito elevado, por causa da sua composição.
100 gramas de manga contêm 63 calorias. A fruta possui as vitaminas A, B1, B2, B5, e C. Sais minerais: fósforo, cálcio, potássio, silício, magnésio e ferro, além de fibras e proteínas.
Considerada alimento e purificadora do sangue, uma manga madura fornece a um adulto toda a vitamina A de que ele necessita por dia, 1/4 das fibras e uma combinação de minerais e outros nutrientes muito importantes para as necessidades diárias do organismo.

Quando a manga não está totalmente madura, ela é rica em vitamina C, e quando madura é mais rica em vitamina A. É um poderoso antioxidante, capaz de combater radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento das células. É também um hidratante natural.
A manga é rica em pectina, uma fibra solúvel que pode apresentar efeito hipoglicemiante, por retardar a digestão do amido e de outros polissacarídeos. Dessa forma, a glicose vai sendo liberada do estômago para o nosso intestino de modo mais lento e, em consequência, a sua absorção também ocorre mais vagarosamente, evitando elevação muito rápida e intensa de glicose no sangue do diabético. Portanto, a manga é indicada no tratamento dos diabéticos ( dados do livro Pharmacia de alimentos – conforme pesquisa desenvolvida pela Professora Dra Jocelma Mastrodi Salgado – Ed Madras)
Fonte: Livro As 50 Frutas e Seus Benefícios Medicinais

Artigos relacionados:


 

Fruta – Maçã

Nome da fruta: Maçã

Nome científico: Malus sp.

Família: Rosaceae

Categoria: Casca vermelha é uma fruta doce, casca verde é uma fruta semiácida

A maçã possui substâncias anti-inflamatórias e cicatrizantes. É depurativa, sedativa, alcalinizante, adstringente, além de reguladora hormonal.
Vitaminas presentes na fruta: A, B1, B2, B5 e C. Sais minerais: potássio, fósforo, sódio, magnésio, enxofre, cálcio, silício e ferro. Possui fibras que estão impregnadas nas cascas. Sua composição é de 85% água, 0,6% de proteínas, 14% de carboidratos. 100 gramas de maçã contêm 61 calorias. As maçãs vermelhas possuem maior concentração de vitamina C que as verdes.
Seu vinagre natural tem 93 nutrientes.

É ótima (fruta e vinagre) para os problemas do estômago, rins, fígado, intestinos, obesidade, acidez estomacal, colesterol, diarreia, diabetes (diabéticos podem usar o vinagre natural da maçã); combate a gota, o reumatismo e os problemas respiratórios. Seu suco combate e previne cálculos dos rins e da vesícula, além de inflamações da bexiga e do sitema urinário. A sua pectina (encontrada com maior abundância no vinagre de maçã) ajuda o organismo a eliminar metais nocivos, como o chumbo e o mercúrio, e combate células cancerígenas. A maçã possui também quercetina, que combate os radicais livres, afasta males como o enfarte, o derrame e o câncer. Enfim, é o verdadeiro detergente do nosso organismo. Ela pode ser ingerida a qualquer momento do dia, pois não faz mal algum. Ingerir de 1 a 2 maçãs diariamente com a casca pode evitar inúmeras doenças.

Artigos relacionados:


 

Design © 2006 por the undersigned | Patrocinador: Weber Poker Tables| Tradução por: BlogueIsso!